Esportes

Opinião: O antes, o agora e o depois de Felipe Massa

O Felipe de hoje não corre mais por si só, mas corre lembrando que tem uma família, corre pensando em voltar para casa e ver seu filho crescer. Sua experiência de vida, entre perigos e sentimentos, talvez o torne um piloto mais vulnerável que os demais...

LinkedInTumblrRedditWhatsAppEmailGoogle GmailYahoo MailWordPress
Muito se fala nas rodas e grupos de discussão de Fórmula 1 sobre o futuro do piloto brasileiro vice-campeão de 2008, Felipe Massa. Para alguns, Felipe já passou da hora de se aposentar da categoria, para outros o piloto ainda tem muita lenha para queimar, já os mais emotivos dizem que Massa nunca mais foi o mesmo após o acidente em 2009 e que está há muito, fazendo hora extra na Fórmula 1.

Publicidade
felipesauber
Em 2002 pela Sauber. (Fonte da imagem: Divulgação)

Muito se fala sobre o acidente na pista da Hungria em 2009 ter afetado o rendimento do brasileiro, ele que vinha de um emocionante vice-campeonato em 2008 e tinha tudo para dar sequência na busca pelo tão sonhado título. É bem verdade que ele não conseguiria mais ser campeão naquele ano, uma vez que a Ferrari tinha um carro muito abaixo dos ponteiros, principalmente da estreante Brawn.

Felipe estreou na Fórmula 1 em 2002 pela Sauber, em 2003 foi piloto de testes da Ferrari voltando no ano seguinte para a mesma Sauber onde estreou. Após ganhar experiência correndo como companheiro de equipe de pilotos como Nick Heidfeld, Giancarlo Fisichella e Jacques Villeneuve, veio a tão sonhada vaga na Ferrari em 2006, quando Rubens Barrichello deixou a equipe italiana.

Na Ferrari teve um ótimo ano de estreia, terminando o mundial em terceiro lugar no campeonato, atrás apenas de Fernando Alonso que fora campeão e de seu companheiro de equipe, Michael Schumacher, que se aposentou no final do ano.

Veja também:  Justiça suspende repasse da Caixa para obra da Olimpíada por suspeita de fraude
A primeira vitória veio no GP da Turquia, 2006. (Fonte da imagem: Divulgação)
A primeira vitória veio no GP da Turquia, 2006. (Fonte da imagem: Divulgação)

Em 2007, após um equilibrado ano entre McLaren e Ferrari, viu seu companheiro de equipe, o finlandês Kimi Raikkonen se sagrar campeão mundial. Felipe Massa se casou com Anna Raffaela Bassi.

No ano de 2008 travou uma intensa batalha contra o então piloto da McLaren, Lewis Hamilton, perdeu o título por apenas 1 ponto na final mais emocionante da história da categoria.

No ano seguinte as coisas não começaram bem para a Ferrari, com um carro tão ruim, que começou o campeonato disputando as posições intermediárias, com o passar das corridas a equipe foi melhorando pouco a pouco.

Publicidade
No GP Brasil de 2008, Massa souber perder como um verdadeiro vencedor. (Fonte da imagem: Divulgação)
GP Brasil de 2008, Massa souber perder como um verdadeiro vencedor. (Fonte da imagem: Divulgação)

No inicio de 2009 a esposa de Felipe Massa ficou grávida do primeiro filho do casal, e no final do ano nascia Felipe Bassi Massa, o famoso Felipinho. No meio da gestação de sua esposa, mais precisamente no dia 25 de julho, Felipe Massa sofreu o acidente mais grave de sua vida, ao ser atingido na cabeça por uma mola do carro de Rubens Barrichello durante o treino classificatório para o GP da Hungria. O brasileiro foi levado ao hospital com diversas fraturas no crânio e uma pequena lesão cerebral, o piloto só voltaria a correr no ano seguinte.

Minutos após o acidente que quase lhe custou a vida, Hungria 2009. (Fonte da imagem: Divulgação)
Minutos após o acidente que quase lhe custou a vida, Hungria 2009. (Fonte da imagem: Divulgação)

Ao voltar para a Ferrari no ano seguinte, seu companheiro de equipe já não era mais Kimi Raikkonen, mas Fernando Alonso. Massa voltava para a equipe que ele considerava uma família, e logo se viu em uma situação totalmente desagradável, uma vez que Alonso era tratado como primeiro piloto e não mais como iguais.

Veja também:  Minuto de bola: torcedor que faz a diferença

No GP da Alemanha de 2010 ao completar 1 ano do acidente de Massa, o brasileiro largou em terceiro, no meio da corrida que ele liderava, a Ferrari ordenou que ele desse passagem para seu companheiro de equipe que vinha em segundo, Felipe obedeceu e Fernando Alonso venceu. O que era para ser um dia de festa e celebração para Massa se tornou um dia que marcaria o resto de sua carreira. A partir daí Felipe nunca mais foi o mesmo.

Felipe se tornou um piloto apático, desmotivado, calado, oprimido e inconstante. Se compararmos os pontos de Massa e Alonso enquanto estiveram juntos na Ferrari entre 2010 e 2013, são apenas 496 do brasileiro contra 1.029 do espanhol, diferença esmagadora.

 

GP da Alemanha 2010, a expressão de poucos amigos revela o início de uma fase tenebrosa. (Fonte da imagem: Divulgação)
GP da Alemanha 2010, a expressão de poucos amigos revela o início de uma fase tenebrosa. (Fonte da imagem: Divulgação)

A Ferrari insistiu muito com Massa, acreditando que seu querido piloto fosse em algum momento acordar, o que não aconteceu. Ao final de 2013 Felipe Massa anuncia sua mudança para a tradicional Williams. Tamanho o amor entre Ferrari e Felipe que a equipe preparou uma festa de despedida jamais vista para um piloto, mesmo após os desgastes que aquela ordem em meados de 2010 causou.

Publicidade

Em 2014 Felipe chega na Williams com a missão de reerguer o time inglês, Massa estava novamente motivado e feliz, sem a pressão de estar na Ferrari e sem o desafio mental de enfrentar Fernando Alonso.

Os dois primeiros anos foram bons, a equipe se firmou como terceira força da categoria, o brasileiro beliscou a vitória algumas vezes, mas nada além disso.

Veja também:  Polícia desmonta farsa de nadadores americanos sobre suposto assalto
A volta por cima na Williams. (Fonte da imagem: Divulgação)
A volta por cima na Williams. (Fonte da imagem: Divulgação)

Nesse ano a Williams anda para trás, foi ultrapassada pela Red Bull e é ameaçada de perto pela Force India, enquanto isso, o que se vê em Massa é novamente um piloto desmotivado, buscando uma nova equipe onde segundo o próprio, ele seja importante.

A conclusão que se tira é de que não existe um Felipe Massa antes e de depois do acidente, mas sim um Felipe Massa antes e depois que sua vida aconteceu, ele se casou, teve um filho, se decepcionou com o lugar que considerava um lar, e ainda passou por um acidente que o deixou entre a vida e a morte.

No filme Rush, o personagem de Niki Lauda fala uma frase que é a mais pura verdade e que se encaixa perfeitamente no quadro de Felipe Massa, ele diz que a felicidade é inimiga pois ela nos enfraquece.

Felipe Massa e sua família. (Fonte da imagem: Divulgação)
Felipe Massa e sua família. (Fonte da imagem: Divulgação)

O Felipe de hoje não corre mais por si só do jeito que corria quando era um piloto novo, solteiro e despreocupado, mas corre lembrando que tem uma família, corre pensando em voltar para casa e ver seu filho crescer. Sua experiência de vida, entre perigos e sentimentos, talvez o torne um piloto mais vulnerável que os demais.

Publicidade

Agora se ele deve ou não se aposentar no final do ano, isso cabe apenas a ele, e mais ninguém.

Publicidade

Veja também

Alboreto

Casos do GP de Monza: Os irmãos Brambilla, por Michele Alboreto

Nesse fim de semana ocorre o GP de Monza na Itália, um dos mais tradicionais …