Esportes

GP da Bélgica de 2016

Rosberg vence, Hamilton e Alonso brilham, Massa "anda para trás" no frenético GP da Bélgica.

LinkedInTumblrRedditWhatsAppEmailGoogle GmailYahoo MailWordPress
A Fórmula 1 volta de suas férias no tradicional circuito de Spa-Francorchamps, na Bélgica.

Publicidade

E a corrida começou de forma eletrizante, um toque entre Sebastian Vettel, Kimi Raikkonen – ambos da Ferrari – e Max Verstappen da Red Bull deu início a uma sequência de eventos que deixaram a primeira volta muito movimentada. Em meio a pneus furados e asas quebradas, quem saiu ileso se deu bem.

Na volta 6, o piloto da Renault Kevin Magnussen bateu muito forte na saída da famosa curva Eau Rouge, o acidente causou uma bandeira vermelha, momento suficiente para que a organização da prova pudesse arrumar a barreira de pneus que ficou totalmente destruída pelo impacto, o piloto saiu mancando do acidente, foi atendido no hospital local com um corte no tornozelo esquerdo e passa bem.

O Renault destruído de Kevin Magnussen (Fonte da imagem: Divulgação)
O Renault destruído de Kevin Magnussen (Fonte da imagem: Divulgação)

A corrida retornou minutos depois, quando Lewis Hamilton estava em quinto logo foi ganhando posições até chegar em terceiro. Max Verstappen protagonizou alguns momentos um tanto polêmicos, um desses momentos foi uma fechada em Kimi Raikkonen, que para muitos merecia punição, além de alguns toques, mas ficou por isso mesmo e o piloto terminou a corrida na 11ª posição.

Veja também:  Vila Olímpica foi entregue sem checagem de instalações de água e luz

Após a segunda parada dos boxes os ponteiros se estabeleceram, sempre com Nico Rosberg em primeiro, Daniel Ricciardo e Lewis Hamilton completando o P3, e assim seguiram até o final. Felipe Massa foi ultrapassado pela forte Force India de Sergio Perez e pela Ferrari de Sebastian Vettel, por seu companheiro de equipe Valtteri Bottas e por Kimi Raikkonen, também de Ferrari, o brasileiro terminou em décimo, depois de chegar a andar em quarto no início da corrida.

Nico e Lewis, líderes do campeonato celebram o pódio. (Fonte da imagem: Divulgação)

Um dos destaques da corrida certamente foi Fernando Alonso, o espanhol com sua McLaren largou em penúltimo e chegou em sétimo, provando a real evolução da equipe, e mostrando que ele ainda é o mesmo Alonso que conhecemos.

Nico Rosberg teve a corrida tão facilitada que praticamente não apareceu na transmissão, foi sua vitória de número vinte na carreira – igualando os finlandeses Mika Hakkinen e Kimi Raikkonen – o alemão se reencontra no campeonato após quatro vitórias de seu rival e companheiro de equipe, Lewis Hamilton, a diferença entre eles é de apenas nove pontos.

No campeonato de construtores uma mudança importante, com o resultado da corrida a Force India ultrapassa a Williams e coloca a equipe de Sir Frank no quinto lugar, muito abaixo das ambições iniciais da equipe.

Publicidade

A Fórmula 1 volta dia 4 de setembro no tradicional circuito de Monza, na Itália.

Publicidade

Veja também

Alboreto

Casos do GP de Monza: Os irmãos Brambilla, por Michele Alboreto

Nesse fim de semana ocorre o GP de Monza na Itália, um dos mais tradicionais …