Empreendedorismo

Rival do Uber chega ao Brasil em maio com preço competitivo

A companhia assegura que toma medidas rigorosas na seleção de motoristas e que exige um alto nível de qualidade dos veículos cadastrados.

LinkedInTumblrRedditWhatsAppEmailGoogle GmailYahoo MailWordPress
A Cabify é uma companhia espanhola que desembarca no Brasil em maio, começando pela cidade de São Paulo, e promete oferecer um serviço de qualidade com preços competitivos, tanto em relação ao Uber, quanto aos táxis.

Publicidade

O valor de cada corrida será calculado com base na distância que será percorrida. O preço exato é informado ao cliente pelo aplicativo do Cabify. O tempo do percurso não é relevante na cobrança, somente a distância. O Uber, assim como os táxis, criam seus preços com base nesses dois quesitos, além da tarifa-base.

Duas categorias do serviço de transporte chegarão ao Brasil neste ano: O Cabify Light e o Cabify Executivo. A primeira concorre com o UberX, já a segunda, com o Uber Black – o que significa que os preços são mais baratos no Light e mais caros no Executivo.

Motoristas de táxis pretos, a mais nova categoria aprovada pela Prefeitura de São Paulo, também poderão fazer parte do Cabify, junto com pessoas que dirigem profissionalmente sem alvará.

Veja também:  Queremos direitos, não os custos deles

A companhia assegura que toma medidas rigorosas na seleção de motoristas e que exige um alto nível de qualidade dos veículos cadastrados, levando em conta itens como seguro que tenha cobertura para o passageiro, ar-condicionado e histórico de acidentes do veículo.

Como a empresa ainda está em fase final de análise de mercado, ao mesmo tempo que aguarda regulações da Prefeitura de São Paulo, o preço por quilômetro percorrido ainda não está definido, assim como não está certo se o Cabify terá ou não uma tarifa básica.

A Cabify trabalha da mesma maneira que a Uber no que se refere aos motoristas. Eles não são funcionários, a empresa os vê como parceiros. A divisão da receita das viagens realizadas na cidade de São Paulo ainda não está definida. Em outros mercados, a empresa cobra de 15% a 25% do valor de cada corrida com o condutor.

(Com informações da Reuters)

Publicidade

Veja também

(Fonte da imagem: Jornal do Empreendedor)

Cinco atitudes de empreendedores de sucesso

Ao abrir um negócio, além das usuais reflexões, dúvidas e preocupações que tal empreitada demanda, …